De Cruzeiro do Oeste para o mundo.

? Eu admiro o Dr. Roberto Kitamura porque… ? – por Vandira Pinheiro (Professora)

      ?Gosto de pessoas simples, educadas, simpáticas, tímidas, amáveis e verdadeiras. Gostei dele, assim que o conheci. Faz algum tempo. Era muito jovem! Mas conserva até hoje a mesma essência daquele dentista, recém-formado, que iniciou sua trajetória profissional a mais de três décadas. Fui uma das primeiras pacientes dele. Tenho muito orgulho de dizer que a única pessoa que me deixou literalmente de boca aberta, foi ele: Roberto Makoto Kitamura.
      ? Dentista renomado que exerceu e ainda exerce com excelência a sua profissão. Depois de mim, foi unânime em cuidar da saúde bucal da minha família. Mais que um dentista, ocupou o lugar de um grande amigo. Não aquele amigo que compartilha do mesmo grupo social, das mesmas festas, mas aquele amigo em quem podemos contar sempre.
      ? O que mais me admira nele é o jeito amável com que trata seus pacientes. Ele é mais que um dentista, é um cidadão preocupado com o ser humano. Sua atenção e seus cuidados de profissional se estendem além do seu consultório. Muitas vezes, fui surpreendida com sua visita em nossa casa pra saber como estava me sentindo após algum procedimento, realizado por ele. Me cativa sua sensibilidade em acalmar o paciente que é mais sensível ao tratamento dentário. Ele faz da sua cadeira de dentista, um divã. Usa da empatia e através do seu jeito especial, ganha o paciente. A gente sai de lá com o procedimento realizado e aliviado. É um apaixonado pelo trabalho que realiza. Tem vocação pelo que faz.
      ? Eu tenho muito orgulho de fazer parte dessa sua trajetória de sucesso. Além do profissional competente que é, é um cidadão respeitado, foi um filho grato, um pai zeloso e esposo que fez valer o matrimônio.
      ? Seria muita pretensão afirmar que ele acumulou ao longo do tempo muitos bens materiais, mas posso afirmar com conhecimento de causa que toda sua trajetória profissional foi pautada no bom relacionamento com seus pacientes onde a atenção, o respeito e o afeto para com eles, foi o seu norte.
      Feliz daquele que pode sobreviver de uma profissão que lhe dá prazer em exercê-la. ?

Vandira Pinheiro – Professora