De Cruzeiro do Oeste para o mundo.

Antônio Amado Noivo Filho: pioneiro de Cruzeiro do Oeste – pesquisa de João Pedro Fiaux Farinha

      Antônio Amado Noivo Filho  nasceu 21 de janeiro 1923 em são Joaquim da Barra -SP.

      Chegou em 1949, vindo da cidade de Londrina de jipe, tomou a decisão de vir para Cruzeiro do Oeste com objetivo de instalar uma serraria, atraído pela floresta rica em madeira.

      Naquela época, sua profissão era comerciante (café, cereais) e agricultor. Hoje é agricultor (proprietário).

      Cruzeiro do Oeste naquela época era mata virgem, considerada a “Terra Prometida”. Tamanha era a qualidade de riqueza aqui encontradas, servindo como objetivo de um grande desenvolvimento.

      O que mais chamou sua atenção foi a floresta muito rica em madeiras, verdadeiro lençóis de palmito e a riqueza da fauna.

      Um fato importante para sua vida foi ter representado o governador do estado, Moisés Lupion, nas festividades alusivas ao quinto aniversário de Cruzeiro do Oeste.

      No passado Cruzeiro do Oeste era um município próspero, hoje empobreceu devido às péssimas condições em que vive o agricultor, a falta de apoio, a falta de preparo dos agricultores, pois é um município agrícola e faltaram lideranças competentes.

      A sua expectativa era ver Cruzeiro do Oeste como um grande Centro Comercial e Agro-Industrial.

      A economia daquela época era extrativa-agrícola. Nessa época era bom, muito melhor.

      Os seus amigos eram Jurandir de Almeida, Sebastião Jogar de Souza, Diógenes Alves Cabral, Américo Nicz, Bolívar Cameiro, Roberto Piaskosk, Evaldo Sachê de Macedo, Carlos dos Anjos, Maria da Glória Noivo, Nair Rhauen, Maria Tilger, professora, Ortência Losiuk, professora, Clotilde Pluman (uma das fundadoras do Lar das Crianças). Diva Goulart Alves, professora, família Poubel, Paulo Bittencourt, Luiz Ruaro, família Dechiche e Joaquim Leite.
Para se divertir visitava amigos e mais tarde João de Resende trouxe um cinema.

“Valeu a pena vir para este município. Aqui vivo, criei meus filhos, filhos, fiz amigos e sofri, mas sou feliz”.